Escopo e sequência: anos finais do ensino fundamental – língua inglesa

O Escopo e Sequência de língua inglesa é o documento que descreve e organiza os objetivos de aprendizagem, habilidades e conhecimentos a serem contemplados nos anos finais do Ensino Fundamental e no Ensino Médio, conforme indicados na BNCC, demonstrando equivalências com os descritores do CEFR, e apresenta uma sugestão de como uma sequência lógica e progressiva dentro do mesmo ano, no caso do EF, e de uma mesma etapa, no caso do EM, seria possível.

Considerações acerca da Teoria Decolonial por meio de reflexões sobre a prática docente em língua inglesa

Com base em resultados da pesquisa autoetnográfi ca, este artigo tem como objetivo analisar práticas docentes de língua inglesa à luz da teoria decolonial (QUIJANO, 2005; 2007; GROSFOGUEL, 2007; MIGNOLO, 2007; MALDONADO-TORRES, 2007), além de refletir sobre método e ensino de língua inglesa a partir de Kumaravadivelu (2003a; 2003b; 2016). Para tanto, apresento e discuto as premissas centrais do grupo Modernidade/Coloniadidade. Após, relaciono esses conceitos com o ensino de língua inglesa, [...]

Abandonamos a sala da universidade: uma opção decolonial no estágio de inglês e na formação docente crítica

Neste artigo, discuto um semestre de estágio supervisionado em inglês desenvolvido integralmente em uma escola pública. Adoto uma perspectiva decolonial (MIGNOLO, 2014), na busca por romper com colonialidades do saber, do poder e do ser na relação universidade-escola para a formação docente (BORELLI, 2018; PESSOA, 2018), objetivando entender como vivenciamos essa tentativa de decolonialidade, com foco em três aspectos: a maneira como o estágio é estruturado, meu papel como professora [...]

O estágio em língua inglesa e o desafio decolonial: problematizações sobre as relações interpessoais de seus/suas agentes

As discussões deste artigo são parte de um estudo qualitativo (Denzin; Lincoln, 2013) e têm como foco as relações interpessoais desenvolvidas durante o estágio em língua inglesa no curso de Letras. Nosso objetivo é ampliar as possibilidades de pensar as relações que são construídas nessa experiência que envolve a universidade e a escola na formação dos/as professores/as licenciandos/as. Sendo assim, as discussões foram desenvolvidas com professores/as de escolas públicas, professores/as [...]

Decolonialidade e ensino de línguas: perspectivas e desafios para a construção do conhecimento corporificado no cenário político atual

Este trabalho tem como objetivo refletir sobre as recentes políticas públicas e educacionais brasileiras e a tentativa de naturalização da ideologia dos grupos dominantes, em detrimento à legitimação da pluralidade epistemológica de grupos marginalizados e/ou contrários a tal pensamento uniformizador. A partir das teorias de decolonialidade (CASTRO-GÓMEZ; GROSFOGUEL, 2007; LANDER, 2005; MIGNOLO, 2009; MORENO, 2005; SOUSA SANTOS, 2010), discuto as relações de submissão, subordinação e [...]

Decolonialidade e inglês como língua franca: diálogos com professores brasileiros

As relações interculturais que caracterizam nossa realidade globalizada são permeadas pela colonialidade. No contexto do ensino de inglês, enxergamos o deslocamento de um paradigma de inglês como língua estrangeira para perspectivas mais críticas (como de inglês como língua franca (ILF) e translinguagem) como possível caminho para a decolonialidade. Assim, neste trabalho, entrevistamos professores a respeito […]

Identidades sociais de raça e formação continuada de professores de língua inglesa

O texto faz parte de uma pesquisa de campo de maior abrangência e que está em andamento. É pesquisa em realização com a participação e colaboração de duas professoras de Língua Inglesa de uma escola pública no interior do Paraná. O presente recorte tem o objetivo de refletir acerca de algumas percepções das referidas professoras […]

Reflexões sobre contribuições da teoria dos multiletramentos em aulas de língua inglesa e as (im)possibilidades de aplicação no ensino público

A maioria dos adolescentes lida com uma multiplicidade de linguagens diariamente, resultado do contato intenso com diversos recursos tecnológicos, e utiliza diferentes modos (linguístico, visual, auditivo, espacial e gestual) em suas práticas letradas. Nesta pesquisa, mostramos que ainda que os diferentes modos sejam conhecidos e utilizados por muitos adolescentes, a criticidade tem de ser desenvolvida […]

A parceria entre a sala de aula e a academia no ensino da língua inglesa

Como a pesquisa acadêmica sobre o ensino do inglês pode se aproximar da realidade da sala de aula, de modo que uma contribua com a outra?