Voltar

O jogo como instrumento avaliativo: uma nova proposta de avaliação da aprendizagem de língua inglesa para crianças

O ensino de inglês para crianças (LIC) tem se tornado mais uma regra que uma exceção (MCKAY, 2006). A cada dia, nos deparamos com crianças sendo expostas ao ensino de línguas estrangeiras (LE), tanto em escolas públicas como privadas, cada vez mais precocemente. Sabe-se que, ao aprender um novo idioma, a criança pode desenvolver suas habilidades linguísticas (Tambosi, 2006), beneficiando-se das duas línguas: materna e estrangeira. Portanto, a temática ensino e aprendizagem de LIC tem ganhado destaque no campo de pesquisas (TONELLI 2005; SANTOS 2006; ROCHA 2007; RINALDI 2011), assim como a temática avaliação (SHAABAN 2001; CAMERON 2001; BARBOSA 2013; MCKAY 2006; NIKOLOV 2016; PÁDUA 2016). Todavia, a avaliação no contexto de LIC é um tema sensível, o qual merece atenção especial, assim, partindo do pressuposto que crianças desenvolvem características sociais, cognitivas, afetivas e motoras diferentemente dos adultos, é imprescindível utilizar abordagens avaliativas diferenciadas, com o intuito de satisfazer as necessidades específicas dos pequenos. Deste modo, neste trabalho, objetivamos discutir o tema avaliação de LIC bem como seus efeitos; perpassando pela gamification e o ensino de línguas. Por fim, propomos jogos de tabuleiro como instrumentos avaliativos, pois compartilhamos da perspectiva de Kishimoto (2011) ao afirmar que o jogo cria um clima de liberdade, fazendo com que a criança se comunique sem medo, receio ou vergonha de errar, proporcionando assim um ambiente confortável e familiar para o aprendiz.