Voltar

O ensino de língua inglesa sob uma perspectiva intercultural: caminhos e desafios

Este artigo busca discutir a importância do ensino intercultural (BRYAM, 2008; SIQUEIRA, 2008, 2011, 2013; KRAMSCH, 2001) de língua inglesa na Educação Básica a partir da análise das respostas de alunos do segundo ano do Ensino Médio Regular do Colégio Estadual Pandiá Calógeras, que fica localizado do município de São Gonçalo – RJ. No segundo semestre do ano letivo de 2017, esses alunos tiveram contato, por meio de um exercício de compreensão oral elaborado pela professora regente, com variedades que representam dois modelos distintos de inglês, a saber, o hegemônico, representado por um falante norte-americano, e o não hegemônico, representado por um falante indiano. Durante a atividade, grande parte dos alunos pesquisados apresentou predileção pelo sotaque norte-americano e, por sua vez, preteriram o indiano, corroborando, assim, a importância da implementação de atividades que promovam um olhar crítico acerca da língua inglesa no contexto escolar. Diante disto, devemos salientar que o ensino de língua inglesa apresentado neste estudo é norteado pelas premissas do inglês como língua franca (ILF), cuja definição ressignificada não se encaixa ao seu conceito antigo. (SIQUEIRA & BARROS, 2013)

Palavras-chave: Interculturalidade; Inglês como língua franca; Ensino e aprendizagem de língua estrangeira