Voltar

O ensino da língua inglesa na Educação de Jovens e Adultos

As discussões deste artigo são fruto de uma pesquisa realizada junto a professores de língua inglesa da Educação de Jovens e Adultos (EJA) e de questionamentos oriundos da prática profissional desta pesquisadora nesta modalidade de ensino. Os professores mostraram-se insatisfeitos e preocupados com a falta de respaldo em relação ao ensino de inglês na EJA. Além disso, assim como a autora também acredita, os professores mencionaram que o perfil dos alunos da EJA é algo a ser considerado na sala de aula, pois é a partir das experiências e dos interesses dos alunos que se construirá um ensino significativo. Tomando com princípio tais questionamentos, o objetivo central deste texto é discutir a questão do ensino da língua inglesa na escola pública dentro da EJA apresentando algumas dificuldades que o professor de inglês enfrenta neste cenário e fazendo algumas sugestões metodológicas que podem contribuir para que o ensino de inglês se torne mais próximo da realidade desses alunos. O trabalho se justifica por retomar questões que se fazem presentes no dia a dia do professor, dos alunos e da sala de inglês da EJA. Em um primeiro momento apresenta-se uma contextualização histórica sobre a implantação do ensino de jovens e adultos no Brasil. Em seguida, comenta-se sobre a função social da EJA e o perfil dos educandos. A metodologia utilizada foi a pesquisa teórica procurando elencar os principais aspectos relacionados ao ensino de línguas e as contribuições do mesmo para a construção da cidadania. Como fundamentação teórica utilizou-se principalmente as Diretrizes Curriculares de Educação Básica para a EJA e para o ensino de Língua Estrangeira Moderna (2008), além dos trabalhos de Jordão e Fogaça (2007), Souza (2007) e demais autores. Diante dos aspectos apresentados coloca-se o ensino da língua inglesa em uma perspectiva de formação de cidadãos críticos construtores de significados no mundo em que se inserem.