Voltar

Observatório lança plataforma interativa inédita com dados sobre o ensino de inglês no Brasil

A Base Nacional Comum Curricular, em implementação desde 2020, estabelece o ensino do inglês a partir do 6º ano do ensino fundamental e isso traz uma oportunidade para a democratização do ensino do idioma. No entanto, conhecer o cenário em que isso acontece por meio de dados e evidências é fundamental para amparar as decisões e definições de metas para o ensino do idioma no país. 

Quem leciona a língua inglesa na educação básica brasileira? Quem são as  professoras e professores que saem das universidades e como esse ensino se dá nos mais diferentes locais do país? 

Essas foram algumas das perguntas que motivaram o estudo “Professoras e professores de inglês no Brasil – Retratos de uma profissão a partir do Censo Escolar e do Censo da Educação Superior”, realizado pelo Observatório para o Ensino da Língua Inglesa, iniciativa coordenada pelo British Council, como parte do programa UK-Brazil Skills for Prosperity realizado pelo governo britânico. 

Os resultados da pesquisa estão disponíveis por meio de uma plataforma interativa inédita (acesse aqui), que permite ao usuário mergulhar nos dados e fazer seus próprios cruzamentos, gerando informações sobre sua realidade local. São dados sobre a oferta de inglês na educação básica, o perfil e formação das professoras e professores do idioma e a carga de trabalho desses docentes em diferentes anos. Os dashboards da área de dados podem ser acessados no menu principal do site, no topo da página.

A ideia é que esses dados ajudem a planejar ações, de acordo com as realidades locais, em temas-chave como: o perfil de docentes a serem contratados, a sua carga de trabalho, prioridades para a formação continuada de professores, entre outros aspectos.

“O objetivo do estudo é aprofundar o olhar sobre quem são as professoras e professores de Inglês atuantes no Brasil nas redes públicas municipais, estaduais e federal, assim como na rede privada”, afirma Cíntia Toth Gonçalves, gerente sênior de Inglês do British Council. “Gerar conhecimento sobre o quadro de docentes de inglês do Brasil e aspectos de sua prática profissional é um passo essencial para promover avanços no ensino e aprendizagem do idioma, com repercussões positivas para toda a sociedade”, completa. 

As informações da pesquisa se somam aos demais recursos oferecidos ao público do Observatório — professores, gestores educacionais, formuladores de políticas, tomadores de decisão, técnicos, pesquisadores — com o objetivo de melhorar o ensino da língua inglesa, torná-lo mais equitativo, diverso e inclusivo nas escolas brasileiras. 

De olho nos docentes de inglês, de hoje e do futuro

O estudo, realizado em 2021, analisou dados de formação, carga de trabalho, idade, gênero e raça dos mais de 172 mil professores de inglês da educação básica no Brasil, a partir dos dados mais recentes disponibilizados pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), no Censo Escolar 2020.

Os dados revelam que quatro em cada cinco docentes de língua inglesa na educação básica brasileira são mulheres. A média de idade das professoras e professores é de 41 anos, e cada profissional leciona em média para cerca de 300 estudantes. Em relação à titulação acadêmica, 16,7% dos docentes não têm ensino superior completo.

A pesquisa também traz informações sobre os mais de 99 mil estudantes de graduação de cursos de Letras (Português-Inglês ou Letras-Inglês, licenciatura ou bacharelado), a partir do Censo da Educação Superior 2019, também do Inep. O objetivo é compreender características da graduação e o perfil dos profissionais que atuarão futuramente no ensino da língua inglesa no país.

Confira no vídeo abaixo alguns dados gerais da pesquisa:

Observatório lança podcast original sobre ensino e aprendizagem de inglês no Brasil

Para marcar a divulgação da pesquisa sobre o perfil das professoras e professores de inglês do país, o Observatório para o Ensino da Língua Inglesa lança seu primeiro podcast original. O episódio de estreia trata justamente da importância do trabalho de dados sobre o ensino de inglês. 

O conteúdo é voltado para docentes de língua inglesa, gestores e profissionais da educação. O objetivo é oferecer informações e discussões qualificadas sobre a docência em língua inglesa, com entrevistas que contribuem para o entendimento do ouvinte a respeito do cenário brasileiro de ensino e aprendizagem de inglês. 

A primeira temporada conta com seis episódios que trazem entrevistas com especialistas de diferentes regiões do Brasil – elas e eles discutem temas como letramento racial crítico em sala de aula, importância da avaliação, inglês no século XXI, entre outros temas atuais do setor. 

Os episódios serão lançados semanalmente, sempre às quintas-feiras, nas principais plataformas de áudio, e disponibilizados no Observatório. A série completa pode ser conferida aqui.

Confira o primeiro episódio:

 

Também pode interessar: