Uso de dados na educação permite conhecer a realidade do ensino e planejar ações

Desempenho dos alunos e presença em aula são algumas das informações que podem ser coletadas; cruzar e monitorar indicadores e estabelecer metas são essenciais no processo

A perspectiva decolonial na escola, sob o olhar de gestores

Professor de língua inglesa, que atuou na formação de docentes, e gestora de biblioteca, que deu uma nova função para o espaço, contam suas vivências

Abordagem decolonial traz olhar crítico para o ensino da língua inglesa

Ao dar espaço e voz para produções de países considerados periféricos, estudantes aprendem a valorizar esses saberes, compreendem o significado mais amplo de estudar um idioma estrangeiro e fazem a ponte entre debates globais e suas realidades locais

Metodologia de projetos favorece o uso autêntico da língua e empodera os alunos

Nas diferentes etapas do trabalho e na interação com os colegas, os estudantes exercitam as habilidades de compreensão oral, leitura, escrita e conversação de maneira natural e significativa

Uso de metodologias ativas coloca o aluno como protagonista do processo de ensino e aprendizagem

No ensino de línguas adicionais, essas abordagens permitem o desenvolvimento de habilidades e ganhos no trabalho com alunos que têm diferentes níveis de conhecimento.

Uso de recursos tecnológicos no ensino de línguas deve crescer no pós-pandemia

Ferramentas digitais podem potencializar o aprendizado, mas é preciso engajar o aluno para que ele tenha participação efetiva. Políticas públicas devem atuar no sentido de garantir a universalização do acesso à internet e a inclusão de todos os estudantes.

Aprendizagem limitada e prejuízos na oralidade são alguns dos impactos da pandemia no ensino de inglês

Falta de conexão à internet e de dispositivos impediram muitos estudantes de acompanhar as aulas online. Escolas da rede pública adotaram diferentes estratégias para chegar nesses alunos, como a distribuição de material impresso e transmissões via TV aberta.