Voltar

Minha experiência: Uma das vantagens de ferramentas online é permitir o exercício de criação por professores e alunos 

Sou professor de inglês, formado há cerca de 30 anos. Nesse período, além de atuar em sala de aula, tanto no setor público quanto no privado, também venho trabalhando na área de treinamento, formação e desenvolvimento de professores de língua inglesa na Troika — na formação continuada e na inicial. No momento, coordeno um programa de inglês no Rio de Janeiro com professores da educação infantil até o ensino médio, e acompanho e desenvolvimento de estagiários de licenciatura.

Lyrics Training

Os estudantes costumam gostar muito do Lyrics Training. Já tive experiências com alunos do fundamental 1 ao ensino médio, cada um tem a sua especificidade, o seu grau de dificuldade e exigência. Por exemplo, os alunos do ensino médio gostam muito de desafio. Quando eles selecionam um nível mais desafiador, em que precisam ser mais rápidos nas respostas, eles gostam muito. E ainda mais quando decidem se organizar em grupos e competir um com o outro cantando músicas.

Youglish

O Youglish é muito interessante para o reforço de vocabulário em contexto, quando estamos explorando alguma palavra em particular, que ofereça uma dificuldade maior de compreensão, de contextualização e de uso. Além da pronúncia, ele consegue trazer, por meio de vídeos e outros recursos, o contexto de uso daquele termo. Às vezes, ensinar somente o significado de uma palavra pode dar a impressão errada de que ela pode ser usada em diversos contextos, mas há sentidos sutis que precisam de um elemento comunicativo mais concreto para que o aluno possa perceber o seu uso.

Wordwall

 O Wordwall oferece um banco com diferentes opções de formato de jogos para um mesmo conteúdo. Eu crio uma atividade, por exemplo, com vocabulário específico de animais da fazenda, e o site oferece as possibilidades de jogos a partir daquela relação de vocabulário, como jogo da memória, do trenzinho, de cartas, pac man, spin the wheel. As atividades são voltadas para o Fundamental 1 e 2. Com os mais velhos, a partir do momento que estão mais acostumados com a plataforma, podemos abrir para que eles próprios escolham o tipo de jogo que preferem para fazer aquela atividade.

Mentimeter

Utilizo o Mentimeter para a preparação de apresentações. Ele é como o Power Point, só que interativo. É uma ferramenta de apresentação recheada de elementos interativos com os espectadores. Por exemplo, se eu tenho uma pergunta sobre o assunto da aula, eu a apresento no slide e vai aparecer um código. Então, pelo celular, os alunos acessam e respondem. E essas respostas podem criar uma nuvem de palavras na mesma hora, em tempo real. A partir disso, podemos caminhar para uma discussão. Eu gosto de usar a ferramenta para atividades de warm up. Por exemplo, pergunto What did you have for breakfast today?; e, a partir das respostas (milk, tea), fazemos um aquecimento e seguimos para o conteúdo da aula. 

ISLCollective

O ISLCollective é muito bom para a criação de material de aula. Ele é um banco de atividades que se organiza nas sessões de vídeos interativos, de Power Point e de worksheets de vocabulário ou gramática. Nós, professores, criamos conteúdos e alimentamos a plataforma. É possível fazer buscas e utilizar materiais prontos, ou então fazer algo mais customizado, já que ele nos permite alterar e adaptar esses materiais. Ele faz uma cópia do conteúdo original com os direitos todos reservados e atribuídos, mas eu posso customizar, deletar ou acrescentar algo à atividade. 

Gamilab

Trata-se de um banco de jogos educativos, que nos permite criar jogos muito simples, e cuja plataforma se assemelha aos jogos de celular e videogame. Ele tem os elementos de gamificação mais presentes do que em vários outros que usamos, como elementos das dinâmicas, mecânicas e componentes que fazem parte do processo gamificado (progressão dos níveis de dificuldade, desafios e recompensas), com uma narrativa bem descrita. 

Uma das possibilidades de criação é uma competição de bicicleta na montanha. À medida que o corredor percorre o trajeto da corrida, aparecem caixas douradas com perguntas (de múltipla escolha) que devem ser respondidas para que se ganhe prêmios. É uma competição como em um videogame, com grande apelo para nossos estudantes.

É possível criar jogos para todos os níveis, desde a educação infantil, e ele pode ser usado tanto no computador, quanto no celular. Os jogos podem ser criados de forma individual ou colaborativa – existe o recurso de adicionar colaboradores, de forma que os estudantes podem se organizar em grupos, cada um na sua casa, desenvolver um jogo e apresentar para a turma. Eles enviam o link e todos jogam.

Live Worksheets

O Live Worksheets também possibilita a criação de exercícios interativos. Podemos criar, por exemplo, um exercício de ligar (match), que pode ser feito na própria tela, o que facilita para o aluno também. 

 

Essas plataformas são todas gratuitas e os alunos não precisam ter uma conta, podemos apenas usar o link. A única diferença é que, se quero criar alguma atividade que possa ser mensurada depois, preciso que todos estejam registrados e cadastrados, ou seja, que façam login na plataforma. O Gamilab, ISLCollective e Live Worksheets, por exemplo, geram um relatório e eu consigo saber quais alunos participaram e quais foram as dificuldades encontradas em relação a pontuação gerada por cada um deles.