A perspectiva do inglês como língua franca como agente de decolonialidade no Ensino de Língua Inglesa

Mesmo em face da mundialidade do inglês, em que as interações em Língua Inglesa (LI) ocorrem, predominantemente, entre falantes em contextos multilíngues e multiculturais, o ensino e a aprendizagem do idioma têm seguido a lógica da colonialidade que consiste em produzir, organizar e distribuir conhecimento sob os termos e condições estabelecidos pelas forças hegemônicas. A partir desse cenário, o presente artigo pretende refletir sobre a perspectiva do Inglês como Língua Franca (ILF) como [...]

Considerações acerca da Teoria Decolonial por meio de reflexões sobre a prática docente em língua inglesa

Com base em resultados da pesquisa autoetnográfi ca, este artigo tem como objetivo analisar práticas docentes de língua inglesa à luz da teoria decolonial (QUIJANO, 2005; 2007; GROSFOGUEL, 2007; MIGNOLO, 2007; MALDONADO-TORRES, 2007), além de refletir sobre método e ensino de língua inglesa a partir de Kumaravadivelu (2003a; 2003b; 2016). Para tanto, apresento e discuto as premissas centrais do grupo Modernidade/Coloniadidade. Após, relaciono esses conceitos com o ensino de língua inglesa, [...]

Abandonamos a sala da universidade: uma opção decolonial no estágio de inglês e na formação docente crítica

Neste artigo, discuto um semestre de estágio supervisionado em inglês desenvolvido integralmente em uma escola pública. Adoto uma perspectiva decolonial (MIGNOLO, 2014), na busca por romper com colonialidades do saber, do poder e do ser na relação universidade-escola para a formação docente (BORELLI, 2018; PESSOA, 2018), objetivando entender como vivenciamos essa tentativa de decolonialidade, com foco em três aspectos: a maneira como o estágio é estruturado, meu papel como professora [...]

O estágio em língua inglesa e o desafio decolonial: problematizações sobre as relações interpessoais de seus/suas agentes

As discussões deste artigo são parte de um estudo qualitativo (Denzin; Lincoln, 2013) e têm como foco as relações interpessoais desenvolvidas durante o estágio em língua inglesa no curso de Letras. Nosso objetivo é ampliar as possibilidades de pensar as relações que são construídas nessa experiência que envolve a universidade e a escola na formação dos/as professores/as licenciandos/as. Sendo assim, as discussões foram desenvolvidas com professores/as de escolas públicas, professores/as [...]

Decolonialidade e ensino de línguas: perspectivas e desafios para a construção do conhecimento corporificado no cenário político atual

Este trabalho tem como objetivo refletir sobre as recentes políticas públicas e educacionais brasileiras e a tentativa de naturalização da ideologia dos grupos dominantes, em detrimento à legitimação da pluralidade epistemológica de grupos marginalizados e/ou contrários a tal pensamento uniformizador. A partir das teorias de decolonialidade (CASTRO-GÓMEZ; GROSFOGUEL, 2007; LANDER, 2005; MIGNOLO, 2009; MORENO, 2005; SOUSA SANTOS, 2010), discuto as relações de submissão, subordinação e [...]

Decolonialidade e inglês como língua franca: diálogos com professores brasileiros

As relações interculturais que caracterizam nossa realidade globalizada são permeadas pela colonialidade. No contexto do ensino de inglês, enxergamos o deslocamento de um paradigma de inglês como língua estrangeira para perspectivas mais críticas (como de inglês como língua franca (ILF) e translinguagem) como possível caminho para a decolonialidade. Assim, neste trabalho, entrevistamos professores a respeito […]

Como implementar uma política de educação aberta e de recursos educacionais abertos (REA)

O Guia Como Implementar uma Política de Educação Aberta – e de Recursos Educacionais Abertos (REA) é a primeira publicação do projeto Iniciativa Educação Aberta (IEA), realizada em parceria entre o Instituto Educadigital e a Cátedra UNESCO de Educação Aberta do NIED/UNICAMP. A publicação representa a sistematização de seis anos de trabalho pela causa da […]

Identidades sociais de mulheres negras nos livros didáticos de língua estrangeiras do Brasil e de Camarões: Interseccionalidades de raça, gênero, classe social e letramento racial crítico

A presente pesquisa reflete sobre identidades sociais da mulher negra e suas intersecções nos livros didáticos de língua inglesa e tem a intenção de gerar reflexões sobre como as identidades sociais da mulher negra estão sendo representadas nos livros didáticos de língua inglesa do Brasil e de Camarões. A intenção de trazer a reflexão entre […]

Common European Framework of Reference for Languages: learning, teaching, assessment. Developing illustrative descriptors of aspects of mediation for the CEFR

O documento é baseado em projeto de 2016 do Council of Europe para criar um guia esquemático e ilustrativo para mediação no ensino de idiomas. Trata a mediação para além da interpretação e da tradução. Organiza a mediação como idiomática, cultural, social e pedagógica. Avalia a mediação como ferramenta para aproximar parcerias, intermediar conflitos e […]

Culturally Responsive Pedagogy Towards Equity and Inclusivity in Ontario Schools

Monografia de 2013 da Student Achievement Division da província de Ontario/Canadá. Na pedagogia culturalmente responsiva, a escola reage positivamente à cultura de cada aluno para facilitar o aprendizado. A cultura inclusiva faz parte de planos e processos da liderança da escola e da mentalidade e das práticas do educador. O professor responsivo a ela tem […]